terça-feira, 31 de julho de 2018

32ª Moenda da Canção e 8ª Moenda Instrumental ocorrem de 10 a 12 de agosto, em Santo Antônio da Patrulha

Um dos maiores festivais de música do Rio Grande do Sul, a Moenda da Canção realiza sua 32ª edição entre os dias 10 e 12 de agosto, junto a 8ª Moenda Instrumental. O evento tem entrada gratuita e ocorre no Ginásio Municipal Caetano Tedesco (R. Bolívia, s/nº), em Santo Antônio da Patrulha, Região Metropolitana.

Em 2018, o festival recebeu 741 inscrições, das quais 646 foram músicas com letra e 95 foram instrumentais. Na triagem, que ocorreu entre 29 de junho e 01 de julho, foram selecionadas as 20 que disputarão os troféus Cantador (Moenda da Canção) e Geraldo Flach (Moenda Instrumental). Destas, sete são de fora do Estado, contemplando compositores do Distrito Federal, de Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo, além da Argentina.

A ordem de apresentação das músicas já foi definida: serão apresentadas 10 na sexta e 10 no sábado, começando com as instrumentais. No domingo, voltam ao palco as finalistas, escolhidas pelo júri que é formado por Adriana Deffenti, Anomar Danúbio Vieira, Diogo Barcelos, Flávio Junior e Zé Caradípia.

A programação também contempla shows nos três dias de festival. Na sexta, dia 10, o público poderá conferir o show “O Dom, a Voz, a Emoção”, de Márcia Freitas e banda. Já no sábado será a vez de Ita Cunha apresentar “Do Interior”. E antes de revelar as vencedoras da 32ª Moenda da Canção e 8ª Moenda Instrumental, o domingo contará com um tributo a Teixeirinha, com Teixeirinha Filho, Teixeirinha Neto e convidados.

A 32ª Moenda da Canção e a 8ª Moenda Instrumental têm patrocínio de Bottero Calçados, DeMello Incorporações, DaColônia Alimentos Naturais e Corsan. O evento conta com apoio da Prefeitura Municipal de Santo Antônio da Patrulha e financiamento Pró-Cultura RS - Lei de Incentivo à Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer.


Sobre a Moenda da Canção

Criada em 1986, a Moenda da Canção foi batizada em referência a uma das principais características de Santo Antônio da Patrulha, reconhecida nacionalmente como a terra da rapadura e grande exportadora de derivados da cana-de-açúcar para o restante do país e o para o mundo. Embora criado com o rótulo de Nativo, o festival abriu seu palco para todos os ritmos e melodias a partir da nona edição, dando um importante passo na cena musical e sul-americana.

Com uma trajetória ininterrupta e envolvendo diversas gerações, a Moenda da Canção é marcada pelo espaço à liberdade de expressão, ao ecletismo e ao experimentalismo. O pioneirismo também é evidente e destacado pela criação da Moenda Instrumental, iniciativa que dá oportunidade para os músicos instrumentistas apresentarem suas composições.

O festival é realizado pela Moenda Associação de Cultura e Arte Nativa, composta por uma diretoria e demais conselhos, e agora financiado pela LIC (Lei de Incentivo à Cultura). Para acontecer a cada mês de agosto, a Moenda da Canção estabelece regulamento para inscrições e faz uma triagem, na qual os jurados selecionam as músicas concorrentes.

A história do evento também está associada ao esforço de um grupo de pessoas e de um povo que sabe reconhecer e aceitar com espírito de renovação tudo que vem de fora, que vem de longe em busca do novo. Pois, “A GENTE CRESCE COM MÚSICA”.

FOTOS: DIVULGAÇÃO / MOENDA

Nenhum comentário:

Postar um comentário